segunda-feira, 28 de março de 2011

F-Disney_msg-EH.wmv

Brincadeiras

As brincadeiras aparentemente simples são fontes de estímulo ao desenvolvimento cognitivo, social e afetivo da criança e também é uma forma de auto-expressão. Talvez poucos pais saibam o quanto é importante o brincar  para o desenvolvimento físico e psíquico do seu filho. A idéia difundida popularmente limita o ato de brincar a um simples passatempo, sem funções mais importantes que entreter a criança em atividades divertidas.
A partir de muitos referenciais teóricos, será possível observar uma série de conceitos importantes, visando o bom desenvolvimento da aprendizagem da criança de 0 a 6 anos e o papel de pais e educadores nesta função tão importante que é educar uma criança.
O jogo é, portanto, sob as suas duas formas essenciais de exercício sensório-motor e de simbolismo, uma assimilação da real à atividade própria, fornecendo a esta seu alimento necessário e transformando o real em função das necessidades múltiplas do eu. Por isso, os métodos ativos de educação das crianças exigem todos que se forneça às crianças um material conveniente, a fim de que, jogando, elas cheguem a assimilar as realidades intelectuais que, sem isso, permanecem exteriores à inteligência infantil". 
 
 


Brincando a criança desenvolve potencialidades; ela compara, analisa, nomeia, mede, associa, calcula, classifica, compõe, conceitua e cria. O brinquedo e a brincadeira traduzem o mundo para a realidade infantil, possibilitando a criança a desenvolver a sua inteligência, sua sensibilidade, habilidades e criatividade, além de aprender a socializar-se com outras crianças e com os adultos.

Reflexão

PENSAMENTO DO DIA




"Nunca se pode aprender menos, só se pode aprender mais

Contos, Fábulas e Histórias Infantis

Os três Porquinhos

 
Numa bonita casa de campo viviam 3 porquinhos:
 
Prático, Heitor e Cícero. Quando não iam à escola, ficavam a brincar felizes e despreocupados no campo.
 
Ao escurecer, voltavam cansados e satisfeitos.
 
Em casa esperava-os a sua avozinha, que lhes preparava grandes bolos com natas e morangos.
 
Um dia, Cícero, o menor, propôs:
 
Agora que já somos grandes, podemos construir uma casa só para nós e viver sozinhos! Cada um construirá a sua, a seu gosto.
 
Cícero não queria se cansar muito, pelo que considerou que bastariam uns tantos ramos e um pouco de palha entrançada para construir uma cabaninha fresca e confortável.

Heitor, pelo contrário, pensou que uma cabana de madeira seria suficientemente confortável e resistente e que não teria de trabalhar demasiado para construí-la.
 
Prático queria uma casinha como a da avozinha. Por isso, carregou o carrinho de mão várias vezes com tijolos e cimento e pôs-se a trabalhar com muito afinco.
 
- Assim estarei resguardado do lobo, que de vez em quando sai do bosque.
 
De fato, veio o lobo e bateu na casinha de palha: Truz! Truz! Truz!
 
- Quem é? – perguntou a avozinha do Cícero.
 
Um amigo... abre! - respondeu o lobo lambendo-se.
 
- Não! És o lobo mau e não te vou abrir a porta!
 
- Ai sim?! – Rosnou o lobo rangendo os dentes.
 
- Vê então como abro a tua porta! E de um sopro varreu a cabaninha fazendo rolar para bem longe o porquinho.
 
Enquanto Cícero escapava, o lobo foi bater à porta do Heitor:
 
- Abre, não te farei mal!
 
Heitor também não quis abrir, mas um par de sopros foram suficientes para destruir a sua casinha.
 
Muito esfomeado, o lobo bateu à porta da casa do Prático.
 
- Vai-te embora, lobão! – Respondeu-lhe o porquinho.
 
Desta vez, o lobo soprou e soprou muitas vezes, mas a casinha, construída com cimento e tijolos era demasiado sólida até para ele.
 
Por fim, o lobo mau ficou sem forças. Aborrecido, levantou o punho, ameaçando:
 - Por agora, deixo-te... mas depressa voltarei!
E vou-te comer de uma só vez.
 
Quando se fez noite o lobo voltou. Prático ouvi-o a trepar pelo algeroz para subir até ao telhado da casa.
 
Enquanto se metia pela chaminé, o lobo lambia-se já pensando no jantar à base de porquinho assado. Mas Prático, que tinha uma panela de sopa ao lume, atiçou a chama com toda a lenha que tinha.
 
O lobo já estava a meio caminho quando começou a cheirar a queimado: era a sua cauda que começava a chamuscar! Saiu pela chaminé e desapareceu uivando.





 


A HISTORIA DA BARATINHA


 
Dona Baratinha era muito trabalhadeira, gostava de manter sua casinha sempre limpa, arrumada e com flores nas janelas.
Um dia varrendo o sótão, encontrou três moedas de ouro. Naquele tempo, esta quantia valia muito e Dona Baratinha ficou muito feliz.

Com este dinheiro, poderia reformar a casa e comprar roupas novas.     O resto do dinheiro guardou dentro de uma caixinha. Agora que estava rica e elegante, com a casa reformada e um bonito enxoval achou que estava na hora de se casar.   Então, a tardinha, vestiu uma roupa bem bonita, fez um belo penteado e foi para a janela esperar os pretendentes.

O primeiro a aparecer foi o cavalo, o jovem mais fino da cidade. O cavalo achou Dona Baratinha muito graciosa. Dona baratinha então perguntou:

Quer casar com Dona Baratinha tão bonitinha e com dinheiro na caixinha?  

Sim!! Disse o cavalo.   

Mas Dona Baratinha tinha um sono muito leve e queria saber se o cavalo roncava alto.

Como é que você faz de noite? perguntou Dona Baratinha.  
O cavalo relinchou tão forte que Dona Baratinha o recusou.

Depois dele veio o boi, o galo, o cachorro, o burro e etc.

Infelizmente todos eram muito barulhentos e não iam deixar D. Baratinha dormir.

Já estava desistindo, quando apareceu D. Ratão muito elegante e charmoso.

Ela então, resolveu tentar mais uma vez. Felizmente, D. Ratão tinha uma voz suave e a noite seu ronco era fraquinho :Qui, Qui, Qui...        
       
Dona Baratinha ficou muito satisfeita com o pretendente e ficaram noivos.
Começaram os preparativos para o casamento.
Dona Baratinha toda agitada preparava um delicioso banquete para a festa do casamento e D. Ratão ajudava nos convites. Porém D. Ratão era muito guloso e pediu a noiva que fizesse para a festa seu prato favorito, feijão com toucinho.     
O feijão com toucinho que Dona Baratinha preparava estava muito cheiroso e D. Ratão ia toda hora na cozinha tentar provar um pouquinho, mas sempre tinha alguém perto.     
Tudo já estava pronto, banquete, igreja e os convidados chegando.
Dona Baratinha e D. Ratão muito elegantes e felizes estavam a caminho da Igreja, porém o noivo só pensava na feijoada.    Então disse para Dona Baratinha que tinha esquecido as alianças em casa, e que assim que as pegasse a encontraria na igreja.
D. Ratão voltou para casa e correu até a cozinha para comer um pouco do toucinho.   
Mas na afobação, escorregou e caiu dentro da panela do feijão morrendo afogado.
Dona Baratinha ansiosa esperava na igreja o noivo que não retornava.
Horas mais tarde, muito triste Dona Baratinha e alguns convidados decidiram voltar para casa e comer o banquete.
Logo descobriram o fim trágico do seu noivo e todos lamentaram muito.
 
 
 
 
 
SEGREDO

Andorinha no fio
Escutou um segredo
Foi à torre da Igreja.
Cochichou com o sino.
E o sino bem alto
delém-dem
delém-dem 
delém-dem
delém-dem!
Toda a cidade 






O MENINO AZUL



O menino quer um burrinho
para passear.
Um burrinho manso,
que não corra nem pule,
mas que saiba conversar.

O menino quer um burrinho
que saiba dizer
o nome dos rios,
das montanhas, das flores,
— de tudo o que aparecer.

O menino quer um burrinho
que saiba inventar histórias bonitas
com pessoas e bichos
e com barquinhos no mar.

E os dois sairão pelo mundo
que é como um jardim
apenas mais largo
e talvez mais comprido
e que não tenha fim.

(Quem souber de um burrinho desses,
pode escrever
para a Ruas das Casas,
Número das Portas,
ao Menino Azul que não sabe ler.)

sábado, 26 de março de 2011

  1.  

DIA DO INDIO:HISTORIAS, LENDAS CONTOS E ATIVIDADES

A LENDA DA MANDIOCA



 HÁ MUITO TEMPO ATRÁS NUMA DISTANTE TRIBO INDÍGENA, NASCIA UMA LINDA MENINA BEM BRANQUINHA, BEM DIFERENTE DAS OUTRAS INDIAZINHAS QUE MORAVAM LÁ. ELA ERA MUITO QUERIDA, PORÉM, COMO ERA MUITO FRÁGIL, NUNCA BRINCAVA. ATÉ QUE UM DIA FICOU MUITO DOENTE E NÃO SAIA DE SUA OCA. O PAJÉ, CONHECEDOR DOS REMÉDIOS DA NATUREZA, LEVOU UMAS ERVAS PODEROSA, MAS ELA NÃO MELHORAVA. NOVAMENTE O PAJÉ TENTOU OUTRO MEDICAMENTO. EM VÃO. UM DIA, PARA ALEGRIA DE TODOS, MANI SAI DE SUA OCA. PARECE QUE PROCURA UM LUGAR ESPECIAL E, DE REPENTE, CAI. MANI MORREU. TODA A TRIBO CHORA À MORTE DELA ENTERRANDO-A SOB FLORES. A VIDA NA TRIBO PRECISAVA CONTINUAR. PASSADO ALGUM TEMPO, OS ÍNDIOS OBSERVARAM UMA ESTRANHA PLANTA QUE NASCERA JUSTAMENTE ONDE MANI TINHA SIDO ENTERRADA. ELES FORAM ATÉ A PLANTA E A DESENTERRARAM. FICARAM SURPRESOS COM O MISTERIOSO ALIMENTO. DESCOBRIRAM INÚMEROS MODOS DE APROVEITÁ-LO E, EM HOMENAGEM À MANI, DERAM-LHE O NOME DE MANDIOCA.


MENINO POTI

(Autora: Ana Maria Machado e Claudius)

Lá na mata, vive o menino Poti.
Ele vive numa oca, lá na taba.
Poti é bonito, com pena de tucano no peito.
O menino Poti vai de canoa pela mata. A canoa leva o pote. O pote leva banana.
Poti vê o tatu e a cutia, vê o tucano e o tico-tico.
E o bebê macaco vê Poti.
Aí ele pula, cai lá da moita e bate o pé no toco.
Ai, ai, ai! Coitado do macaco!
Poti vê o macaco caído e cuida dele.
O menino bota o macaco na canoa e o danado come toda a banana do pote.
A canoa leva Poti até a taba.E ele leva o macaco no colo.
Aí o pai de Poti leva muita banana até a taba. E o bebê-macaco come muito.
De noite, a lua alumia a taba toda. Tudo iluminado! Alumia até Poti no colo do pai.
E alumia o macaco de banana na boca.


 
ATIVIDADES











sexta-feira, 25 de março de 2011

Cadernos Confeccionados durante o Curso


Materiais confeccionados para trabalhar a matématica nas series inicias

Castelinho de Eva
Palitinhos coloridos

Centopeia

Jogo da velha

Trabalhos Pedagógicos

Livrão confeccionados
                                                                                                                                                                                              :




Feito com cartolina e Eva

 
 Para fazer vc vai precisar de:

.Cartolinas rosa

.Cola
.Tesoura
.Pedaços de Eva
.Uma caixa de papelão
.Escolher uma Historinha infantil .

Capa dona baratinha

Musicas


 
 Pézinho
Ai bota aqui
Ai bota aqui o seu pézinho
Seu pézinho bem juntinho com o meu 
Ai bota aqui
Ai bota aqui o seu pézinho
Seu pézinho bem juntinho com o meu 

E depois não vá dizer
Que você ja me esqueceu
E depois não vá dizer
Que você ja me esqueceu

ARCO IRIS
As musicas infantis tem como objetivo ensinar as crianças, elas são em forma de canções, muitas vezes como aquela que sua mãe cantava para que você dormisse, não são apenas músicas educativas, mas também músicas que diverte as crianças.
Algumas músicas trazem coreografias que fazem com que a criança se interesse mais ainda, assim ela lembra da canção com mais facilidade.
Muitas dessas músicas são importantíssimas para o desenvolvimento das crianças, sendo que muitas delas até os adultos adoram. E claro que quando falamos de músicas infantis não podemos esquecer da cantora e apresentadora XUXA, que possui muitas musicas para crianças que são muito conhecidas.

Oração Anjo da Guarda


Oração infantil.
Meu anjo da guarda,
dourado como o sol, suave como a lua,
segue-me quando eu for à escola,
quando estiver em casa, quando brincar na rua…
Vela meu sono de noite,
guia meus passos de dia;
dá-me tua paz, teu carinho, tua alegria…
Quero estar sempre em tua companhia.
Você é tudo para mim.
Quero aprender com você a amar as plantas,
os minerais, as pessoas, os animais…
A ter bons sentimentos,
pensamentos puros, enfim,
a amar a Deus sobre todas as coisas

Frases e Reflexão da Educaçao Infantil

Nas mãos das crianças o mundo vira um conto de fadas,
porque na inocência do sorriso infantil,
tudo é possível, menos a maldade.

Crianças são anjos, são pedaços de Deus que caíram do céu para nos trazer a luz viva que há de fazer ressuscitar a verdade que vive escondida em cada um.

De braços abertos a criança não cultiva inimigos,
sua tristeza é momentânea.

De olhos abertos a criança não enxerga o feio, o diferente,
apenas aceita o modo de ser de cada um que lhe dirige o caminho.

De ouvidos atentos a criança gosta de ouvir tudo
como se os sons se misturassem formando uma doce vitamina de vozes, vozes que ela pode imitar, se inspirar para crescer.

Questionando, brincando, a criança está sempre evoluindo,
achando esse mundo um Paraíso, mas a criança sabe no seu interior o que é o amor e quer sugá-lo como se fosse seu único alimento, não lhe dê uma mamadeira de ódio, pois com certeza sua contaminação seria fatal e inesquecível.


Criança me lembra: cor, amor, arco-íris, rosas, doce de brigadeiro, tintas das cores: vermelha, laranja, azul, amarelo; me lembra cachoeira, pássaros, dia de festa.

Ser criança é estar de bem com a vida, é ter toda a energia do Universo em si.
A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces.A cultura forma sábios; a educação, homens.  A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida.
"
Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes.
A Educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tão poucoa sociedade muda

contos

Autor (a) do texto : Desconhecido
Corri ao mercado para comprar uns presentinhos, que eu não havia conseguido comprar antes. Quando eu vi todas aquelas pessoas no mercado, comecei a reclamar comigo mesma: "Isto vai demorar a vida toda, e eu ainda tenho tantas coisas para fazer, outros lugares para ir.
Como eu gostaria de poder apenas me deitar, dormir e só acordar após tudo isso." Sem notar, eu fui andando até a seção de brinquedos, e lá eu comecei a bisbilhotar os preços, imaginando se as crianças realmente brincam com esses brinquedos tão caros.
Enquanto eu olhava a seção de brinquedos, eu notei um garoto de mais ou menos 5 anos pressionando uma boneca contra o peito. Ele acarinhava o cabelo da boneca e olhava tão triste, e fiquei tentando imaginar para quem seria aquela boneca que ele tanto apertava.
O menino virou-se para uma senhora próximo a ele e disse: "Vovó, você tem certeza que eu não tenho dinheiro suficiente para comprar esta boneca?" A senhora respondeu: “ Você sabe que o seu dinheiro não é suficiente, meu querido!" E ela perguntou ao menino, se ele poderia ficar ali olhando os brinquedos por 5 minutos, enquanto ela iria olhar outra coisa.
O pequeno menino estava segurando a boneca em suas mãos. Finalmente eu comecei a andar em direção ao garoto e perguntei para quem ele queria dar aquela boneca e ele respondeu: "Esta é a boneca que a minha irmã mais adorava, e queria muito ganhar. Ela estava tão certa que o Papai daria esta boneca para ela este ano.
Eu disse: "Não fique tão preocupado, eu acho que ele irá dar a boneca para sua irmã." Mas ele triste me disse: "Não, o Papai não poderá levar a boneca onde ela está agora. Eu tenho que dar esta boneca pra minha mãe, assim ela poderá dar a boneca à minha irmã, quando ela for lá."
Seus olhos se encheram de lágrimas enquanto ele falava: "Minha irmã teve que ir embora para sempre. O papai me disse que a mamãe também irá embora para perto dela em breve. Então eu pensei que a mamãe poderia levar a boneca com ela e entregar a minha irmã.".
Meu coração parou de bater. Aquele garotinho olhou para mim e me disse: "Eu disse ao papai para dizer a mamãe não ir ainda. Eu pedi à ele que esperasse até eu voltar do mercado." Depois ele me mostrou uma foto muito bonita dele rindo, e me disse: "Eu também quero que a mamãe leve esta foto, assim ela também não se esquecerá de mim.
Eu amo minha mãe gostaria que ela não tivesse que partir agora, mas meu pai disse que ela tem que ir para ficar com a minha irmãzinha." Ai ele ficou olhando para a boneca com os olhos tristes e muito quietinho. Eu rapidamente procurei minha carteira e peguei algumas notas e disse para o garoto: "E se nós contássemos novamente o seu Dinheiro, só para termos certeza de que você tem o dinheiro para comprar a boneca? Coloquei as minhas notas junto ao dinheiro dele, sem que ele percebesse, e começamos a contar o dinheiro. Depois que contamos, o dinheiro iria dar para comprar a boneca e ainda sobraria um pouco. E o garotinho disse: "Obrigado Senhor por atender o meu pedido e me dar o dinheiro suficiente para compra a boneca".
Aí ele olhou para mim e disse: "Ontem antes de dormir eu pedi à Deus que fizesse com que eu tivesse dinheiro suficiente para comprar a boneca, assim a mamãe poderia levar a boneca. Ele me ouviu ... e eu também queria um pouco mais de dinheiro para comprar uma rosa branca para minha mãe, mas eu não ousaria pedir mais nada a Deus.
E Ele me deu dinheiro suficiente para comprar a boneca e a rosa branca. Você sabe, a minha mãe adora rosas brancas. Uns minutos depois, a senhora voltou e eu fui embora sem ser notado. Terminei minhas compras num estado totalmente diferente o que havia começado. Entretanto não conseguia tirar aquele garotinho do meu pensamento.
Então lembrei-me de uma notícia no jornal local de dois dias atrás, quando foi mencionado que um homem bêbado numa caminhonete, bateu em outro carro, e que no carro estavam uma jovem senhora e uma menininha. A criança havia falecido na mesma hora e a mãe estava em estado grave na UTI, e que a família havia decidido desligar as máquinas, uma vez; que a jovem não sairia do estado de coma.
E pensei, será que seria a família daquele garotinho? Dois dias após meu encontro com o garotinho, eu li no jornal que a jovem senhora havia falecido. Eu não pude me conter e sai para comprar rosas brancas fui ao velório daquela jovem .... Ela estava segurando uma linda rosa branca em suas mãos, junto com a foto do garotinho e com a boneca em seu peito.
Eu deixei o local chorando, sentindo que a minha vida havia mudado para sempre. O amor daquele garotinho por sua mãe e irmã continua gravado em minha memória até hoje. É difícil de acreditar e imaginar que numa fração de segundos, um bêbado tenha tirado tudo daquele pequeno garotinho.

Se você mandar essa mensagem, talvez ajude aquelas pessoas que bebem e saem dirigindo pelas ruas a pensar um pouco mais e ajude a prevenir os acidentes que acontecem durante os feriados.
Preocupe-se um pouco com as outras pessoas, antes de sair dirigindo bêbado pelas ruas, e pegue as chaves daqueles que julgar necessário, você estará salvando outras vidas e a sua vida também.

quinta-feira, 24 de março de 2011

filmes infantis

       

Os filmes infantis sempre foram criados para cativar o público infantil, crianças de todas as idades adoram assistir aos mais variados filmes infantis.
       
     

Massinha de modelar caseira

Receita para você fazer mais em casa!
• 5 colheres (de sopa) de farinha de trigo
• 1 xícara (de café) de água
• 1 colher (de chá) de açúcar
• 2 colheres (de chá) de óleo
• 2 colheres de (de chá) de gelatina 
Misture tudo e, é só brincar! 

atividades infantis de páscoa para desenhar e pintar

[Captura+de+tela+2010-03-20+às+01.03.42.png]

DATAS COMEMORATIVAS

PASCOA

REGRAS QUE PODEM SER SEGUIDAS / EDUCAÇÃO INFANTIL























Dedoches de Eva